Halo!

 

Eu sou a Tuká Ribeiro, tenho 36 anos, sou mãe de um rebento de três anos e gosto de mil e uma coisas.

Amo viver e aprender com quem ama viver também.

Sou a fundadora da Sementte, plataforma onde a minha missão ser o veículo de transmissão para que sejas apenas a melhor versão de ti mesma!

Como coach de saúde natural, terapeuta de desenvolvimento pessoal, cozinheira sensitiva, mulher e mãe, irei guiar-te para que consigas trazer ao teu mundo mais harmonia.

Designo o meu trabalho pela transformação da dor, stress e mau estar em uma caminha de auto cura conhecimento e amor, para que a tua vida seja mais leve, saudável, próspera, feliz, motivadora e saudável.

Ajudo mulheres e crianças a resgatar o seu poder pessoal, a conectar com a sua essência, a viver em harmonia e a nutrir o seu corpo através da alimentação intuitiva.

Aqui no terás receitas para refeições super nutritivas, posts sobre o meu lifestyle, a minha visão sobre assuntos ao qual atribuo valor, o que faço como “curandeira” natural, ferramentas para uma vida saudável, tudo da forma mais simples que tu possas imaginar.

 

Gosto de tudo que é  simples e que valoriza as raízes de cada um.

Em 2016 regressei a minha Terra Natal ( Famalicão) e a viagem iniciou-se. Surge este projeto como uma ambição de vida, que agora ganha outra cor e sabor. A Sementte surge para dar luz à minha vida, comecei a realizar o que à imenso tempo estava no sonho, desejo que consigas tornar real o que ambicionas para a tua vida, seja no desenvolvimento pessoal, tratar algum problema de saúde, cuidar das tuas emoções, ansiedade, stress, autoconfiança.

Vou partilhar contigo um pouco da minha biografia e da minha biologia.

Na minha biologia estão presentes, crises de alergias ao pólen, asma, urticaria do frio, depressão, crises de ansiedade, crises de pânico, distúrbio alimentar.

Nasci em Vila Nova de Famalicão, vivi com ao meus avós até aos 5 anos, regressei aos meus pais (Maia) após esse período.  Sempre fui uma criança alegre, motivada, divertida e imensamente faladora. Com imensos sonhos, e “coisas” na cabeças, que não consegui expressar nem tirar as dúvidas.

Fui crescendo com a sombra da gordura em mim, por ter mulheres obesas na família, a partir dos 8/9 anos começo a ter noção que era repreendida por comer muito, ou por deixar comida no prato. A gordura e a comida eram as minhas sombras, tapadas e mantidas em segredo, fora de casa.  Este disturbo acompanhou-me até aos 33 anos, altura que engravidei e não deixei que os “dizeres” me influenciassem (nunca quis engravidar porque sempre me disseram que ia ficar um monstro, de gorda e de feia, ia pesar mais de 120kg, ia ficar com as pernas cheias de varizes e afins), até que decidi uma vez na vida, fazer o que a minha mente pedia, ser genuína comigo e com o que acreditava, embora fosse super complicado para mim deixar de estar “fechada”.

No entretanto aos 15 anos surge uma alergia agressiva ao pólen onde tomei as ditas vacinas mágicas por 6 anos, nada aconteceu a não ser continuar alergica, a minha primeira depressão surge ao 17 anos, aos 24 vem de não sei de onde uma urticaria do frio, que me cegou algumas vezes, me fez desmaiar outras quantas, e me limitou a vida, com vergonha, pois ficava completamente irreconhecível, a minha cara ficava como um avatar vindo não sei de onde, inchada, cheia de bolhas e cores. Nessa altura a  ansiedade ia e vinha, mas torna-se constante aos 25 de mão dada com a asma, onde tinha crises imensas de pânico, juntas com a ansiedade. Foram anos sofridos, em que limitei a minha vida bastante a nível social para que não passa-se vergonha em público, esconder-me era a forma mais fácil de controlar as variáveis.  A segunda depressão aos 17 e a terceira aos 34 anos.

Ao longo dos anos apercebi-me de que o que me tinha sido passado, não era a minha verdade. As pessoas serem obrigadas a ir trabalhar em QUAQUER coisa para ter um ordenado ao fim do mês dava comigo em doida, já vivi e trabalhei em Inglaterra, Estados Unidos ,França e Portugal claro, mas não conseguia sentir-me feliz comigo, entendi mais tarde, que “desistia” dos trabalhos porque não era realizada ao executa-los. Passei quase um ano sem fazer rigorosamente NADA, vivi em França uns tempos, e regressei a Portugal, onde mantive a postura de não fazer nada. Foi nesse ano de Não fazer nada para a sociedade que despertei o meu ser, o meu corpo (aos 32anos) e assim se iniciou a jornada.

 

Hoje através da minha experiência de vida e da minha formação ajudo mulheres e crianças no seu processo pessoal.

Falo de saúde natural, alimentação intuitiva, empoderamento e resgate da essência, tudo o que vivi no meu caminho e que o universo alinhou nas formações que fiz.

Sê muito bem vinda por aqui!

Tu és tão importante como o que sabes.

Tu és tão importante como o que fazes.

Somos o que pensamos, comemos e fazemos, se assim cuidarmos de nós, dos nossos e da nossa Mãe Terra cada escolha nossa fará a diferença.